Após quase três anos de uma exitosa ação judicial movida pelo Gaema, - Grupo de Atuação Especial de Defesa do Meio Ambiente do Ministério Público do Estado de São Paulo -, a torre de quase cem metros de altura encravada nas costas do Morro do Espinho na Cocaia, foi demolida.